Fundamentação Teórica

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Fundamentação Teórica

Mensagem por juli domingues em Ter 27 Abr 2010, 18:57

FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

A educação é uma área extremamente ampla com diversas possibilidades e oportunidades de cursos para formação de profissionais, tanto a nível técnico, quanto superior, em diversas universidades públicas e particulares.
Com base na importância da educação, tem sido feito muitos estudos que mostram a eficácia dos profissionais da área, como pessoas preparadas e capacitadas no desenvolvimento de tal atividade.
A questão do ensino e da educação é um assunto que deve ser privilegiado em todos os âmbitos da sociedade e podemos verificar que, desde a antiguidade, na Grécia, por exemplo, onde a escola foi criada com o objetivo de tornar o ensino mais concreto e fazer com que se tivesse um espaço destinado, especialmente, para essa atividade do ensino.
A partir dessa reflexão, podemos dizer que Davis e Oliveira afirmar que:
“[...] Para aprender, o aluno precisa ter ao seu lado alguém [o professor] que o perceba nos diferentes momentos da situação de aprendizagem e que lhe responda de forma a ajudá-lo a evoluir no processo, alcançando um nível mais elevado de conhecimento.” (Davis e Oliveira,1994. p.89- modificação nossa)[/size]

Conforme diz a citação, é de extrema importância que exista um acompanhamento no processo de aprendizagem da criança. Dessa forma, estimula-se o contato da criança com o meio em que ela está inserida, socializando-a. Podemos verificar a mesma linha de raciocínio em Vygotsky (1979, 1984), onde ele destaca a relevância do interacionismo nas relações entre as pessoas. Segundo ele, é através desse maior convívio, proporcionado pelo ambiente escolar, que a criança vai criando seu próprio “eu”, sua identidade.
Assim como Vygostky, Piaget acreditava no desenvolvimento e na aprendizagem, porém, eles divergiam quanto ao ponto de vista que tinham acerca dos relacionamentos entre as pessoas. Enquanto Vygostky enfatizava que o conhecimento é adquirido por meio das relações existentes entre as crianças e os profissionais que a lecionam, além do convívio com outras crianças de mesma idade; Piaget preocupava-se em saber como esse conhecimento é adquirido.
Sendo a escola o ambiente que proporciona as crianças uma maior interação, tanto com crianças de mesma idade, quanto com pessoas mais instruídas, oferecendo assim uma maior oportunidade de aquisição de conhecimento, por que existem pais que acreditam que ensinando seus filhos em casa estarão adaptando-os a uma melhor forma de ensino?
É o caso da família Nunes, de Minas Gerais, que há quatro anos tem ensinado seus dois filhos adolescentes em casa. Segundo reportagens de jornais de grande circulação, “é a insatisfação com o ensino regular e com a forma como seus filhos eram ensinados na escola” que esses pais decidiram ensinar os filhos em casa.
Foram baseados na prática norte-americana denomidada “homeschooling”, que a família Nunes e algumas outras famílias brasileiras optaram por ensinar seus filhos em casa. Logo, pode-se perceber que essa prática não é tão incomum quanto se pensa. Em países como Estados Unidos, Inglaterra e França, por exemplo, onde a lei permite essa forma de ensino, grande parte da população desses países segue essa forma de educação, feita em casa.
Esses casos de educação domiciliar provocaram um grande impacto na população brasileira. Especialistas no ramo do ensino, professores, críticos têm abordado esse caso da família Nunes. A grande maioria é contra essa forma de ensino, porém, existem, sim, aqueles que defendem que os pais, além de terem o direito de decidir de que forma educam seus filhos, acreditam que o ensino em casa é a melhor opção, nos dias de hoje, para uma educação de boa qualidade.
Como abordado, anteriormente, a questão do ensino vem sido debatida há anos. Teóricos como Lev Vygostky e Piaget, por exemplo, preocupavam-se com o desenvolvimento intelectual do indivíduo.
Críticas relacionadas à educação domiciliar, defendem que essa forma de ensino prejudicaria as crianças a se socializarem com outras crianças de mesma idade, além de limitar a aquisição do conhecimento.
É notório, então, que essa questão do ensino é discutida, há muito tempo, e foi alvo de pesquisas de teóricos mundialmente reconhecidos. O interacionismo de Vygotsky influenciou bastante no favorecimento do ambiente escolar como melhor forma de ensino. Por isso, acreditamos que a criança inicia seus conhecimentos no âmbito familiar, mas é a escola que dá a maior base, além de permitir a interação, tão necessária, entre crianças de mesma idade, proporcionando, dessa forma, a socialização tão defendida pelo teórico russo, Vygotky.

Rebeca dá uma olhada pra mim aí! Randall também se tiver acesso!! Estamos com duvida na estrutura! Dá umas dicas!

Voltar ao Topo Ir em baixo

correção

Mensagem por Randall em Qua 28 Abr 2010, 22:59

Oi,
Adorei o texto. Está ótimo.
Vocês conseguiram articular muito bem os teóricos


As alterações de vermelho foram feitas por mim!

FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA


A educação é uma área extremamente ampla com diversas possibilidades e oportunidades de cursos para formação de profissionais, tanto a nível técnico, quanto superior, em diversas universidades públicas e particulares.
Com base na importância da educação, tem sido feito muitos estudos que mostram a eficácia dos profissionais da área, como pessoas preparadas e capacitadas no desenvolvimento de tal atividade.
A questão do ensino e da educação é um assunto que deve ser privilegiado em todos os âmbitos da sociedade e podemos verificar que, desde a antiguidade, na Grécia, por exemplo, onde a escola foi criada com o objetivo de tornar o ensino mais concreto e fazer com que se tivesse um espaço destinado, especialmente, para essa atividade do ensino.
A partir dessa reflexão, podemos dizer que Davis e Oliveira afirmam que:
“[...] Para aprender, o aluno precisa ter ao seu lado alguém [o professor] que o perceba nos diferentes momentos da situação de aprendizagem e que lhe responda de forma a ajudá-lo a evoluir no processo, alcançando um nível mais elevado de conhecimento.” (Davis e Oliveira,1994. p.89- modificação nossa)[/size]

Conforme afirma a citação, é de extrema importância que exista um acompanhamento no processo de aprendizagem da criança. Dessa forma, estimula-se o contato da criança com o meio em que ela está inserida, socializando-a. Podemos verificar a mesma linha de raciocínio em Vygotsky (1979, 1984), onde ele destaca a relevância do interacionismo nas relações entre as pessoas. Segundo ele, é através desse maior convívio, proporcionado pelo ambiente escolar, que a criança vai criando seu próprio “eu”, ou seja, sua identidade.
Assim como Vygostky, Piaget acreditava no desenvolvimento e na aprendizagem, porém, eles divergiam quanto ao ponto de vista que tinham acerca dos relacionamentos entre as pessoas. Enquanto Vygostky enfatizava que o conhecimento é adquirido por meio das relações existentes entre as crianças e os profissionais que a lecionam, além do convívio com outras crianças de mesma idade; Piaget preocupava-se em saber como esse conhecimento é adquirido.
Sendo a escola o ambiente que proporciona as crianças uma maior interação, tanto com crianças de mesma idade, quanto com pessoas mais instruídas, oferecendo assim uma maior oportunidade de aquisição de conhecimento, por que existem pais que acreditam que ensinando seus filhos em casa estarão adaptando-os a uma melhor forma de ensino?
É o caso da família Nunes, de Minas Gerais, que há quatro anos tem ensinado seus dois filhos adolescentes em casa. Segundo reportagens de jornais de grande circulação, “é a insatisfação com o ensino regular e com a forma como seus filhos eram ensinados na escola” que esses pais decidiram ensinar os filhos em casa.
Foram baseados na prática norte-americana denomidada “homeschooling”, que a família Nunes e algumas outras famílias brasileiras optaram por ensinar seus filhos em casa. Logo, pode-se perceber que essa prática não é tão incomum quanto se pensa. Em países como Estados Unidos, Inglaterra e França, por exemplo, onde a lei permite essa forma de ensino, grande parte da população desses países segue essa forma de educação, feita em casa.
Esses casos de educação domiciliar provocaram um grande impacto na população brasileira. Especialistas no ramo do ensino, professores, críticos têm abordado esse caso da família Nunes. A grande maioria é contra essa forma de ensino, porém, existem, sim, aqueles que defendem que os pais, além de terem o direito de decidir de que forma educam seus filhos, acreditam que o ensino em casa é a melhor opção, nos dias de hoje, para uma educação de boa qualidade.
Como abordado, anteriormente, a questão do ensino vem sido debatida há anos. Teóricos como Lev Vygostky e Piaget, por exemplo, preocupavam-se com o desenvolvimento intelectual do indivíduo.
Críticas relacionadas à educação domiciliar, defendem que essa forma de ensino prejudicaria as crianças a se socializarem com outras crianças de mesma idade, além de limitar a aquisição do conhecimento.
É notório, então, que essa questão do ensino é discutida, há muito tempo, e foi alvo de pesquisas de teóricos mundialmente reconhecidos. O interacionismo de Vygotsky influenciou bastante no favorecimento do ambiente escolar como melhor forma de ensino. Por isso, acreditamos que a criança inicia seus conhecimentos no âmbito familiar, mas é a escola que dá a maior base, além de permitir a interação, tão necessária, entre crianças de mesma idade, proporcionando, dessa forma, a socialização tão defendida pelo teórico russo, Vygotky.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum